HOME|EDITORIAL|Mais do que um empate
Mais do que um empate
Mais do que um empate

Data: 22/01/2018

O Fluminense mereceu vencer o último clássico vovô, que foi disputado no estádio Mario Filho. O empate de 0 a 0 com o Botafogo foi injusto, mas serviu para mostrar alguns detalhes a serem levados em conta.

O esquema tático apregoado pelo nosso treinador, o 3-5-2, que por vezes, quando ameaçado, se direciona para o 5-3-2, é o retrato da fraqueza técnica dos nossos zagueiros, apesar da boa aparição do jovem Ibañez.

O 1º tempo foi modorrento, indigno de um dos maiores derbies do futebol brasileiro, sem nenhuma ação de destaque maior por parte da nossa equipe.

Já na segunda parte, o Tricolor das Laranjeiras voltou mais ousado, com uma maior participação na criação das jogadas por parte de Sornoza e Douglas. 

Com as entradas de Ayrton, no lugar do sonolento e tímido Marlon, e de Robinho, no posto de Marcos Junior, o Fluminense ficou mais coeso e ofensivo. O nosso treinador Abel Braga, a certa altura, quase no final do jogo, resolveu arriscar tudo dando entrada a Matheus Alessandro em substituição ao zagueiro Renato Chaves.

Mais uma vez o Tricolor foi prejudicado pela arbitragem, assim como já havia sido no meio da semana contra o Boavista, em Bacaxá, quando da não marcação de mais de um pênalti a nosso favor. Desta vez, tivemos um legítimo gol mal anulado.

Para este Observatório do Fluminense, os grandes destaques do Fluminense foram Ibañez, Ayrton, Robinho e Matheus Alessandro. Já o ponto negativo reside na demora do treinador Abel Braga em realizar as substituições.

É correto afirmar que a atitude do time deste ano é outra, com relação a 2017. Morde mais, gosta de competir. Entretanto, erros passados do Departamento de Futebol voltam a ficar evidentes pelas declarações pós-jogo do nosso treinador. Nos últimos dois jogos, em Saquarema e no Maracanã, Abel Braga voltou a dar a cara e fazer a defesa Institucional do Clube. 

Para este Observatório do Fluminense, a presença de Abel Braga no Fluminense faz-se necessária somente enquanto treinador. Não há nenhuma necessidade desse desgaste, principalmente no início da temporada. O que não podemos admitir é novamente ficarmos refém de um vestiário que já foi minado demais.

O Observatório do Fluminense parabeniza o Clube pela contratação do goleiro uruguaio De Amores. Que seja feliz na sua trajetória no Fluminense e que honre sempre a nossa camisa.  Que seja bem-vindo!

Este Observatório do Fluminense questiona as últimas escolhas de conteúdo, assim como a performance do Departamento de Comunicação do Clube. Não podemos aceitar a chacota como normalidade e culpa alheia. O Fluminense merece mais e melhor... Por isso e para isso, paga.

É preciso muito mais do que apenas boa vontade e intenção. Alguns erros podem ser de mão única, sem volta.

O Observatório do Fluminense, que não abre mão de ser um órgão de informação independente, em nada chapa branca, continua torcendo pela gestão. Principalmente para que ela seja compartilhada em todos os seus seguimentos, onde as preferências individuais nunca se sobreponham aos reais interesses do Fluminense.

Para aqueles que foram ao Maracanã pensando em alimentar o caos, o resultado final, mesmo sendo apenas um empate, deixou promissores sinais de que 2018 vai ser diferente. Assim esperamos.

O Observatório do Fluminense observa!

 

Compartilhe
  • Googlemais
comente
©2017 OBSERVATÓRIO DO FLUMINENSE
Os Woden