HOME|EDITORIAL|Mudanças já!
Mudanças já!
Mudanças já!

Data: 16/01/2018

Os últimos acontecimentos envolvendo a gestão do Fluminense exigem que se faça uma enorme reflexão. O Observatório do Fluminense tem observado o atual momento do nosso querido Fluminense, assim como todos os nossos leitores, com extrema preocupação.

O Presidente Pedro Abad tem que vir a público imediatamente e prestar alguns esclarecimentos. Os sócios do clube, assim como os nossos torcedores, que merecem 100% do nosso respeito, têm esse direito. Ao mesmo tempo em que o Conselho Diretor tem esse dever.

É preciso que se explique de forma transparente toda a estratégia adotada na dispensa dos jogadores e, principalmente, apesar de sabedores de todas as dificuldades financeiras, o motivo que levou a deixar acumular as remunerações além do limite legal para os pedidos de rescisões contratuais. Indo mais além: caso não tivéssemos alternativas, numa estratégia de sobrevivência, porque não priorizamos o pagamento dos atletas de maior valor de mercado, visando diminuir as perdas do clube?

Qual o plano de negócios para os próximos anos, com o objetivo de evitar que se repita o que estamos vivendo?

E o futebol?

A derrota de ontem, aparentemente início de temporada e que não seria nada demais para qualquer outro clube, para nós pode ser o início de uma sucessão de insucessos. Neste momento falta comando. Os erros se acumulam e não se vê saída.

O elenco hoje é fraquíssimo, desmotivado, começando por uma defesa horrorosa. Quase todos são ruins, mas a defesa do Fluminense é o ponto nevrálgico do fracasso do ano passado e será também desse ano.

Nosso treinador, Abel Braga, parece consciente disso, mas se vê acomodado com o que tem, neste momento, em mãos.

O futebol do Fluminense hoje é a piada da mídia e de grande parte da nossa torcida. O Henrique Dourado ter atuado ontem, depois da humilhação que nos fez passar numa entrevista, que poderia ter sido evitada, expondo o clube ao ridículo, foi vergonhoso para qualquer Tricolor. Como prêmio ele ainda continuou como capitão do time.

Este Observatório do Fluminense há um ano deu o seu crédito ao Presidente Pedro Abad.  Porém, mal assessorado, por uma Comunicação absurdamente desconhecedora do que é um clube de futebol, está patinando. As mudanças sonhadas, a gestão compartilhada, estão afogadas nos incêndios diários.

A situação está ficando insustentável.

Pior, com este time fraquíssimo a pressão só vai aumentar.

As decisões unilaterais do Presidente têm afetado a convivência democrática do Conselho Deliberativo que com ele foi eleito, da mesma forma que começam a provocar estragos dentro do próprio Conselho Diretor.

O clube social reflete sinais inequívocos de abandono, os profissionais contratados para a área não têm ideia do que seja as Laranjeiras. Os Esportes Olímpicos sofrem com o descaso, sufocados pelo isolamento provocado. A nossa equipe de vôlei feminino, um belo trabalho que vem sendo realizado, é infelizmente um ponto fora da curva.

A tão esperada revolução recomendada pela Ernst & Young cada vez mais fica apenas no papel. Não obstante aos esforços de algumas pastas, o Presidente Abad insistiu em movimentos meramente políticos que em nada resolveram, nem resolvem as necessidades do clube.  Quantas pessoas foram contratadas depois disso? Quantos departamentos estão inchados como a Comunicação para cometer erros diários e vergonhosos?

Foi assim no caso dos ingressos, desrespeitando o acordo firmado com o MP, sem que o verdadeiro Conselho Diretor soubesse, apesar de que o seu “núcleo duro”, composto apenas por funcionários, estava ciente.

Enfim, sendo essa a verdade, não é uma gestão compartilhada e moderna como sugerimos, mas sim monocrática (para não falar outra coisa).

Estamos trilhando um caminho muito complicado e, no presente momento, uma mudança radical em nossos rumos se faz mais do que necessária.

Este Observatório do Fluminense acha que temos uma grande oportunidade para reverter esse quadro, na medida em que o clube tem, em alguns setores, pessoas excelentes e capazes para comandar, de forma direta, com a liderança necessária, a correção de rumo que o momento exige.

O Observatório do Fluminense, unido e forte, sabe que “a bola não entra por acaso!”.

 

Compartilhe
  • Googlemais
comente
Rubens Carvalho - 01/02/2018 às 17h11
Abad entrou com uma grande certeza, destruir o Fluminense, pois com este time eu não tenho duvida que vai para segundona no brasileiro, pode ser o melhor técnico do mundo.
Responder
Pedro Prado - 18/01/2018 às 15h34
Não seria hora do Conselho Deliberativo do Fluminense se movimentar e votar o Impedimento do Sr. Pedro Abad?

Segundo o Art. 53, alínea c do Estatuto Tricolo:

"c) Ter ele acarretado, por ato ou omissão, prejuízo considerável ao patrimônio ou à imagem do Clube"

O clube está sob investigação policial na máfia de venda de ingressos carioca. Além disso, por má gestão ou incompetência o clube perdeu o dinheiro investido no Gustavo Scarpa e ainda está sendo processado por Diego Cavalieri e Henrique. Todos esses fatos são característicos de prejuízo ao patrimônio e principalmente a imagem do Clube.

Se nenhuma ação for tomada, nunca o clube conseguirá um patrocinador Master a altura do Fluminense.

É preciso restabelecer o respeito e o profissionalismo no Clube.
Responder
Luiz Augusto Lemos - 16/01/2018 às 22h15
Diagnóstico perfeito da situação em que nos encontramos.
Afastar jogadores com altos salários deve ser acompanhado do afastamento de "profissionais" carissimos e totalmente fora da realidade de mercado.
Fluminense sempre foi administrados por Diretores vitoriosos em suas carreiras profissionais, que se dedicavam ao Clube por amor. Sem qualquer interesse pecuniário
interesse.
Presidente Abad merece nossa confiança, porém está na hora de deixar a politica de lado e REARRUMAR nosso Clube.
Responder
Paulo Delphim - 16/01/2018 às 13h53
Muito Bom! A torcida do Fluminense merece imediatas explicações sobre tudo que aconteceu e está acontecendo, bem como os planos para o futuro que a atual diretoria traçou para nosso clube. Se é que existe.
Responder
©2017 OBSERVATÓRIO DO FLUMINENSE
Os Woden