HOME|EDITORIAL|Uma grande incógnita ou dá para acreditar?
Uma grande incógnita ou dá para acreditar?
Uma grande incógnita ou dá para acreditar?

Data: 09/04/2018

Uma vez encerrado o Campeonato Carioca, competição que o Fluminense conquistou pela última vez no já longínquo ano de 2012, que conclusões podemos sacar deste time tricolor? Será que poderemos confiar mais uma vez no estilo do Presidente Pedro Abad de fazer futebol (aquele que é refém de vestiário e treinador) ou o Fluminense neste momento necessita de uma mudança radical?

Para este Observatório do Fluminense as respostas são claras: eliminados da Copa do Brasil por uma equipe de segunda e perdendo a semifinal do estadual, essa equipe, que em alguns momentos deu sinais de poder ir além, como disse o próprio treinador Abel Braga, já alcançou o seu limite.

E isso que o Brasileirão ainda não começou.

O Observatório do Fluminense avisou várias vezes durante este ano: faltam um zagueiro, um meia de criação e um camisa 9, todos para serem titulares. De preferência, bem cascudos. E se isso ocorresse, não significaria que teríamos uma equipe em condições de disputar o título, mas sim que poderíamos cruzar os 38 jogos da competição sem sofrer tanto como em 2017 e poderíamos repetir uma boa campanha na Sul-Americana.

Entretanto, estrearemos nesta quarta-feira na disputa continental e no próximo domingo no grande campeonato nacional. E os reforços? Até o momento, nenhum.

O Observatório do Fluminense convoca os torcedores do Fluminense para comparecerem em peso nesta quarta, dia 11, no Maracanã, para a partida contra o Nacional Potosi. Seria de grande valia começar com o pé direito a competição.

Por outro lado, cabe a este Observatório do Fluminense recordar ao Presidente Pedro Abad, ao Vice-Presidente de Futebol Fabiano Camargo e ao Diretor Executivo de Futebol, Paulo Autuori: o reserva direto do Sornoza se chama Luquinhas. E isso define o trabalho do Departamento de Futebol até o momento.

O Observatório do Fluminense, assim como toda a torcida Tricolor, quer acreditar, mas neste momento a esperança agoniza.

O Observatório do Fluminense, preocupado, observa!

 

Compartilhe
  • Googlemais
comente
©2017 OBSERVATÓRIO DO FLUMINENSE
Os Woden