HOME|EDITORIAL|A importância de vencer, sempre
A importância de vencer, sempre
A importância de vencer, sempre

Data: 07/06/2018

O Fluminense entrará em campo esta noite em Brasília contra o Flamengo em partida válida pela 10ª rodada do Campeonato Brasileiro. Depois da inaceitável derrota para a fraquíssima equipe do Paraná, na última segunda-feira, vencer o arquirrival é de suma importância para as pretensões do Tricolor no campeonato. Uma derrota significará o distanciamento em 9 pontos para o 1º colocado, além de nos afastar das posições que dão acesso à Libertadores da América.

Assim como toda a nossa torcida, este Observatório do Fluminense surpreendeu-se com a disposição do treinador Abel Braga em escalar o nosso time no sistema 3-6-1, ou seja, superpovoando o meio de campo, com o Jadson tendo mais liberdade para atacar e acompanhar Sornoza na criação das jogadas.

É evidente que é uma solução emergencial em virtude das contusões que começam a assolar o nosso limitado elenco, que tem excesso de zagueiros e volantes, mas sem complementos para a parte criativa e de articulação de jogadas, além de ser carente de um 9 de garantias partindo do banco. 

A princípio a aposta em João Carlos é um erro crasso de avaliação, além do que novamente a direção do Departamento de Futebol se mostra acovardada e refém das vontades do treinador (vide a contratação de Romarinho), que volta a ocupar espaços que não lhe correspondem quando falamos de hierarquia do clube, assim como aconteceu no ano passado.  E isso certamente voltará a provocar um desgaste dentro do vestiário.

O Presidente Pedro Abad, arrogante, prepotente, teatral (finge que nada é com ele), tem se achado o dono da verdade. Ele e o seu grupo político, que há 7 anos se fizeram donos do clube, têm hoje um discurso totalmente diferente do realizado na campanha eleitoral de 2016, além de terem se escudados na mentira e na manipulação da comunicação. Eles têm que entender de uma vez por todas que a torcida do Fluminense não os aceita e sabe que são inconsequentes e incompetentes.

E o fato desse jogo de hoje à noite, cujo mando de campo corresponde ao Fluminense, ser disputado em Brasília é a mais fiel fotografia do fracassado projeto deles à frente do Fluminense. Nosso time entra em campo para pagar uma dívida feita pelo, por eles alardeado como “o maior presidente da história”, Peter Siemsen em 2016. E o pior, todos os ingressos foram vendidos e 90% dos presentes deverão ser rubro-negros.

Portanto, cabe a este Observatório do Fluminense conclamar os torcedores e sócios do Fluminense a se rebelarem contra o status quo. Chegou a hora de sair das redes sociais e ocupar o clube de fato.

Pedro Abad terá que entender que a sua figura não é bem quista e a sua capacidade como gestor, comprovadamente, é inexistente. O respeito ao verdadeiro Fluminense e à sua história tem que ser verdadeiro e é fundamental.

Que amanhã possamos estar aqui neste espaço comemorando a vitória do NOSSO Tricolor das Laranjeiras.

O Observatório do Fluminense sabe que “a bola não entra por acaso”, por isso é preciso recorrer à lupa e observar, para saber realmente os malefícios que a gestão Pedro Abad está fazendo ao Fluminense.

Compartilhe
  • Googlemais
comente
Alisson - 08/06/2018 às 09h53
João Carlos, Robinho e Marlon estão muito abaixo dos quesitos necessários para jogar no Fluminense!
Responder
©2017 OBSERVATÓRIO DO FLUMINENSE
Os Woden