HOME|EM FOCO|Bruno Carril|A culpa foi da Polícia Mineira! (por Bruno Carril - “Esse negócio chamado futebol”)
  • Bruno Carril
    Bruno Carril
    Tricolor desde antes de nascer, Bruno Carril é advogado pós-graduado em Direito Desportivo e especializado em Leis de Incentivo ao Esporte, rockeiro de berço, sócio contribuinte e fundador do MR21
Ver mais colunas
Distribuidora de Produtos Alimentícios e DescartáveisDistribuidora de Produtos Alimentícios e DescartáveisDistribuidora de Produtos Alimentícios e Descartáveis
em foco • Por Bruno Carril • 22 abr 2016
A culpa foi da Polícia Mineira! (por Bruno Carril - “Esse negócio chamado futebol”)

Estão falando muita coisa sem saber o que realmente ocorreu e a imprensa, mais uma vez, cumpre um papel vergonhoso de não trazer a informação correta ao torcedor, para que este possa fazer uma avaliação.

Sou critico das torcidas organizadas. Já as critiquei publicamente em MUITOS casos. Muitos mesmos... Mas quarta feira passada não...

Fui testemunha ocular do ocorrido. Estava a cerca de 50 metros do local onde a confusão começou.

Ao apito final, vários jogadores correram para o alambrado para comemorar o título com a torcida. Automaticamente, por óbvio, a torcida desceu e ocupou a parte baixa das arquibancadas. Alguns subiram nos alambrados. A intenção, claramente, não era pular para o campo, mas comemorar o título.

A Polícia Mineira, de forma completamente absurda e truculenta, começou a agredir os torcedores que haviam subido no alambrado.

Não mandaram descer, não pediram... Não fizeram nada. Tiraram os porretes e começaram a dar em quem subia no alambrado.

Ato seguinte, a torcida evidentemente reagiu. Não deveria. Mas é difícil exigir isso.

A torcida organizada começou a xingar a PM, e tacar coisas. A resposta da PM foi com tiros de borracha direcionados para torcedores comuns. Atiraram pro meio da torcida. Um rapaz que estava no ônibus da caravana organizada pelo MR21 foi ferido. E ele não é de organizada, não tentou invadir o campo e muito menos desceu para subir no alambrado.

É um torcedor como eu, você e qualquer outro... Que foi ao jogo para torcer e comemorar.

Atiravam sem parar... Foram muitos tiros... 20 no mínimo... A torcida organizada acabou se inflamando... Outras torcidas até foram apoiar... O ato seguinte da PM foi soltar Gás Lacrimogêneo e Bombas de Efeito Moral no meio da arquibancada, dezenas. Não apenas onde estava a torcida organizada, mas em toda a arquibancada.

Corre-Corre... Pais desesperados... Pessoas passando muito mal. Pessoas com o nariz sangrando.

E não eram torcedores organizados. Não eram os "marginais". Eram crianças... Eram meninas de 20 anos, eram mulheres acompanhadas de seus filhos ou maridos, eram senhores de 80 anos (e não tô falando de forma aleatória... Tinha um senhor que tinha uns 80 anos ao meu lado e que ficou muito nervoso durante a confusão).

Não estou aqui para defender torcida organizada. Todos sabem que eu sou completamente contra Torcidas Organizadas e que por mim elas poderiam até acabar, uma vez que as suas finalidades não remontam mais ao que foram anos atrás.

Mas é preciso que a verdade seja dita. A torcida organizada errou? Sim... Mas errou em sua reação.

Ninguém errou mais, e foi a verdadeira culpada por estragar a festa que a Polícia Militar de Minas Gerais.

E para todos os que criticam as torcidas organizadas, seria excelente que estivessem no jogo, que estivessem cantando e apoiando o Fluminense. E, principalmente, que tivessem visto com seus próprios olhos o ocorrido, e que tivessem que correr quando policiais retardados começaram a dar tiros em direções aleatórias, de forma completamente injustificada e absurda.

Que tivessem ficado por três ou quatro horas com a garganta doendo, ou com os olhos ardendo, mesmo estando do outro lado do estádio... Assim entenderiam o tamanho do absurdo que ocorreu quarta-feira naquele estádio e como a PM Mineira agiu com torcedores comuns.

VOLTAR PARA EM FOCO
Compartilhe
  • Googlemais
comente
Bernardo - 03/05/2016 às 16h30
Esse Bruno carril não é muito confiável, gosta de política do clube e sempre ataca o atual presidente, desconfie sempre das coisas q ele fala, sempre tem segundas intenções
Responder
Bruno Carril - 04/05/2016 às 13h08
Caro Bernardo,

Esse texto foi, inicialmente, publicado em um grupo de facebook. O comentário rendeu mais de 100 comentários, e todos os que estiveram no jogo ratificaram a minha descrição do ocorrido.

Abaixo, existem outros 4 comentários. Todos confirmam a minha palavra.

Todos os que estiveram em Juiz de Fora sabem exatamente o que ocorreu. Não sou defensor de Torcida Organizada. Ao contrário, até. Sou possivelmente um dos seus maiores críticos. Mas é preciso ser justo e dizer a verdade, para que a culpa não recaia sobre os ombros de quem não as merece.

Quanto a gostar de política, você esta completamente enganado. Eu gosto, sim, é de Gestão. Gosto de estudar mecanismos e modelos, formas de aplicação e afins. Tanto gosto, que optei por seguir minha carreira nesse viés. A política, infelizmente, é um meio necessário para que você possa se colocar numa posição de fazer a gestão acontecer.

De toda forma, nunca escondi meu posicionamento. Sou membro fundador do MR21, e essa informação consta no meu perfil, no canto esquerdo superior do texto.

Sou crítico, sim, da atual gestão. Entendo que o Presidente Peter Siemsem cometeu muitos erros, e que o Fluminense é extremamente mal administrado. Mas não tenho qualquer problema em reconhecer os poucos acertos.

Não o conheço. Mas me causa certa estranheza que você perca o seu tempo lendo um texto de um autor em quem você não confia. Seria interessante, que ao invés de ataques infantis e desnecessários, que você apresentasse críticas aos meus textos e apontasse eventuais informações incorretas que eu possa estar apresentando aos demais leitores, para que assim possamos realizar um debate de nível, e que possa acrescentar algo aos demais leitores.

Da forma atual, a impressão que tenho é que você não passa de mais um dos muito adoradores da atual gestão que se sentem incomodados com as críticas públicas que faço à atual gestão e, na mais completa incapacidade de refutar os argumentos que apresento, optam por ataques pessoais desarrazoados.

Att,

Bruno Carril
Luiz Henrique - 24/04/2016 às 00h45
Moro aqui em JF desde quando nasci. Sou tricolor de coração e fui ao jogo com o meu filho, também tricolor, de 24 anos. Tudo que foi dito aqui é absolutamente verdadeiro. Em jogos do Tupi o comportamento da PM e o mesmo. Sofri com o gás de pimenta e fui atingido por uma bala de borracha na cabeça que causou sangramento. Minha reação foi subir no alambrado e xingar os PMs. Eles, na verdade, estavam praticando tiro ao alvo e até sorriam, escondidos em seu fardamento. Um comportamento que não tem nada a ver com a PM. Meu filho até sugeriu que fizéssemos um BO, mas só que, infelizmente, fazer um BO para que? Quem vai investigar. A imprensa daqui não comentou nada sobre esse abuso. Queria ver esses PMs em operações reais, não contra pessoas desarmadas. Covardia pura dessa PM de Juiz de Fora. Uma pena. Acredito que passaremos vários anos sem termos jogos desse nível.
Responder
Antônio Carlos Gonçalves - 23/04/2016 às 08h35
Um absurdo, que o Flu não volte a jogar em JF, a não ser que haja uma desculpa formal.
Responder
Vladi - 23/04/2016 às 08h06
Também estava no estadio e ratifico todas as afirmações contidas no post. Verdadeiros covardes travestidos de policiais, que ao invés de dar proteção, ficavam provocando os torcedores e rindo das atrocidades que estavam a fazer. Policiais completamente despreparados e que com atos de maldade impediram a comemoração de todos nós, verdadeiros torcedores do IMENSO FLUSÃO.
Responder
Fazê o q , o clube tem q dizer algo - 22/04/2016 às 22h41
Um amigo q estava gandulando escutou um oficial durante o jogo comentando q ( hoje ) quarta - feira era o dia de esculachar os cariocas , era só uma brecha qq coisa baixar o cacete em TDs , também estava perto da força e vi q eles não fizeram nada pra tamanha brutalidade...
Responder
Distribuidora de Produtos Alimentícios e DescartáveisDistribuidora de Produtos Alimentícios e DescartáveisDistribuidora de Produtos Alimentícios e Descartáveis
©2017 OBSERVATÓRIO DO FLUMINENSE
Os Woden