HOME|EM FOCO|Julio Bueno|Reflexões sobre a amarga derrota de sábado (por Julio Bueno - “Por um Fluminense perene”)
  • Julio Bueno
    Julio Bueno
    O Engenheiro Julio Bueno, amante da MPB, sambista convicto, passou parte da sua infância e juventude na Glória, um dos bairros mais emblemáticos do Rio de Janeiro. Pai e avô de gerações de Tricolores, leva o DNA do Fluminense no sangue há mais de 10 mil anos
Ver mais colunas
Distribuidora de Produtos Alimentícios e DescartáveisDistribuidora de Produtos Alimentícios e DescartáveisDistribuidora de Produtos Alimentícios e Descartáveis
em foco • Por Julio Bueno • 29 mai 2017
Reflexões sobre a amarga derrota de sábado (por Julio Bueno - “Por um Fluminense perene”)

Quando olhei a escalação do Fluminense, eu tive uma grande esperança.

Teríamos um meio-campo habilidoso, com o melhor que Xerém nos deu. Douglas, Gustavo Scarpa e Wendel, juntos com Orejuela, poderiam dar toda a mobilidade e habilidade necessárias para tomarmos conta do jogo. Infelizmente, não foi isso que se viu.

Principalmente Douglas, mas também Scarpa, tiveram uma jornada muito ruim. Lentos e burocráticos, sem a mobilidade necessária para vencer a intensa marcação feita pelo nosso adversário. Wendel, como sempre, muito bem, buscando o jogo, e Orejuela, tiveram a vida dificultada pelo desempenho de Douglas e Scarpa. Aliás, faltou o drible. O meio do Fluminense só tocou, não fazendo qualquer infiltração que pudesse levar perigo. Senti saudades do Wellington Silva.

Richarlison e Dourado se viravam, mas com as limitações conhecidas. Richarlison, em particular, está precisando claramente dar uma parada para se recuperar fisicamente. Dourado é o maior batedor de pênaltis que vi em toda a história do Fluminense. Sua técnica e frieza são espetaculares, batendo as duas penalidades com incrível habilidade. Aliás, Dourado, sem ser extraordinário, vem cumprindo o seu papel muito melhor do que se esperava dele no início da temporada. Luta o tempo todo e disputa com eficiência a bola zerada, na cabeçada contra os zagueiros, permitindo que o meio-campo lute pela segunda bola.

Os laterais, ah os laterais! São, no meu ponto de vista, a parte mais fraca do time. Léo com uma notória insegurança ofensiva e Lucas fraco fisicamente. Culpado, por posicionamento equivocado pelos dois últimos gols que sofremos. No terceiro, seu posicionamento era de quem estava torcendo para a partida acabar. Essa posição é a grande carência do Fluminense. Lucas, que é bom jogador tecnicamente, tem uma enorme deficiência física. Na base, os laterais direitos de origem não me parecem preparados para subir. Que tal testarmos o Luiz Fernando na posição, como Abel já fez?

Nogueira falhou no primeiro gol. Marcou a bola deixando Luís Fabiano livre para cabecear. Cavalieri continua sem passar a confiança de outrora. Henrique, bastante bem, subindo de produção.

Resumo: Jogo em que jogamos mal, não merecemos a vitória e contribuímos com a nossa derrota. De lição: os laterais, é importante frisar, são o maior problema do time; Scarpa e Douglas estão abaixo do esperado e do necessário; e que Nogueira definitivamente aprenda a marcar o adversário ao invés da bola.

VOLTAR PARA EM FOCO
Compartilhe
  • Googlemais
comente
Luiz Fernando - 29/05/2017 às 19h35
Lamentavelmente , Scarpa, já vinha mal antes da contusão . Agora, até apanhar ritmo... Vamos sofrer.
Responder
Distribuidora de Produtos Alimentícios e DescartáveisDistribuidora de Produtos Alimentícios e DescartáveisDistribuidora de Produtos Alimentícios e Descartáveis
©2017 OBSERVATÓRIO DO FLUMINENSE
Os Woden