HOME|EM FOCO|Edgard Nascimento Neto|Com os pés no chão (por Edgard Nascimento - "Testemunha da história")
  • Edgard Nascimento Neto
    Edgard Nascimento Neto
    Carioca, Engenheiro, Tricolor desde sempre, fã incondicional do futebol. Frequenta os estádios desde 1959, aos cinco anos. De Laranjeiras, para o mundo.
Ver mais colunas
Distribuidora de Produtos Alimentícios e DescartáveisDistribuidora de Produtos Alimentícios e DescartáveisDistribuidora de Produtos Alimentícios e Descartáveis
em foco • Por Edgard Nascimento Neto • 30 out 2017
Com os pés no chão (por Edgard Nascimento - "Testemunha da história")

O Fluminense jogará a segunda e decisiva partida pelas quartas de final da Copa Sul-Americana contra o mesmo clube de remo.

Ainda que seja para obter a não tão difícil classificação, serão necessárias algumas mudanças, isso é óbvio.

Diante da impossibilidade de contarmos com Gum, Renato Chaves jogará ao lado de Reginaldo. Acho que Lucas está visivelmente desgastado. A atuação adversária, pelo seu lado, foi intensa, tanto no primeiro jogo, bem como em outras ocasiões em que enfrentamos este mesmo time.

O autor do gol, na partida da semana passada e em algumas outras, surge de surpresa, sem marcação, apenas esperando nosso erro ou desatenção para consignar o ato indesejável.

Eu entraria com o 4-4-2, sem inventar, apenas colocando Mateus Norton na lateral-direita, no lugar do cansado Lucas. Manteria Richard e Douglas, com Sornoza e Scarpa completando o meio.

Com a provável ausência do centroavante e de seu contumaz faltoso zagueiro, o time rival não terá praticamente como cruzar bolas para o cabeceio à nossa meta, salvo em um ou outro lance. As jogadas contrárias serão em penetração, não necessariamente pelas pontas, mas pelo ESPAÇO existente entre o bico da grande área e a meia-lua desta.

É exatamente aí onde reside a chave de toda a nossa marcação defensiva. Podem acontecer chutes de longa distância, porém acho difícil tentarem isso o jogo todo.

No nosso ataque, acho que Marcos Júnior deveria iniciar o jogo nos mesmos moldes em que atuou contra o São Paulo, tabelando rápido e fustigando a saída de bola do adversário. Apenas calma nas finalizações. Sornoza e Scarpa devem sempre tentar o chute a gol.

Esquema 3-5-2? Essa é uma formação eminentemente europeia e necessita de MUITO treino e entrosamento, além de exigir excelentes jogadores compondo principalmente as laterais, bons tanto física quanto tecnicamente. Não é o nosso caso. Além disso, quando Abel arrumará tempo para treinar a nova escalação? Em dois dias? Não me façam rir.

Para disputar a classificação: Cavalieri; Norton, Chaves, Reginaldo e Marlon; Richard, Douglas, Sornoza e Scarpa; Marcos Jr e Dourado. É o que temos.

O resto é delírio de escalador mirabolante.

Saudações Tricolores.

 

TOQUE SUTIS

- A vaia é um direito líquido e incontestável, mas, convenhamos, vaiar o jogador em campo, é tiro no pé.

- Se o atleta não está bem, com as vaias ele poderá piorar, afetando o time.

- Se é para vaiar, vaia-se no intervalo ou no fim da partida. A bola não estará em jogo e não haverá perigo algum.

VOLTAR PARA EM FOCO
Compartilhe
  • Googlemais
comente
Edmargalazzi - 01/11/2017 às 10h20
Bom dia concordo com a sua escalacao tirando o lateral direito Lucas que a muitos jogos não vem correspondendo na lateral direita muito fraco na marcação não tem mais pique para correr até na hora de se aposentar .
Responder
Edgard - 03/11/2017 às 18h57
Prezado Edmargalazzi, obrigado pelo comentário.
Realmente, o Lucas está apenas razoável no apoio e problemático na marcação, pois falta-lhe fôlego. A partir dos quinze minutos do segundo tempo, a dificuldade cresce em níveis preocupantes.
ST.
Distribuidora de Produtos Alimentícios e DescartáveisDistribuidora de Produtos Alimentícios e DescartáveisDistribuidora de Produtos Alimentícios e Descartáveis
©2017 OBSERVATÓRIO DO FLUMINENSE
Os Woden