HOME|EM FOCO|Thiago D’Aguiar|Qual Fluminense entrará em campo hoje? (por Thiago D'Aguiar – “De Tricolor para Tricolor”)
  • Thiago D’Aguiar
    Thiago D’Aguiar
    Administrador formado pela Universidade Veiga de Almeida, pai do Gabriel, marido da Nathália, amante de samba, pagode, carnaval e futebol. E, é claro, muito apaixonado pelo Fluminense!
Ver mais colunas
Distribuidora de Produtos Alimentícios e DescartáveisDistribuidora de Produtos Alimentícios e DescartáveisDistribuidora de Produtos Alimentícios e Descartáveis
em foco • Por Thiago D’Aguiar • 11 abr 2018
Qual Fluminense entrará em campo hoje? (por Thiago D'Aguiar – “De Tricolor para Tricolor”)

Guerreiros,

Mais um Campeonato Carioca terminou e, novamente, não levantamos a taça. Estagnamos nos 31 títulos, há 6 anos.

Já caímos na Copa do Brasil.

Nesta quarta, 11/04, iniciamos nossa caminhada na Copa Sul-Americana e, no domingo, no Campeonato Brasileiro.

E vos pergunto, qual Fluminense entrará nessas competições?

O Fluminense da Flusócio, que entra torcendo para cair fora logo no mata-mata e se empenhar em não cair no Brasileiro, ou o Fluminense centenário, de passado glorioso, que entra para brigar pelo título de qualquer competição que seja?

A resposta teremos a cada jogo, com a postura apresentada em campo e no que for dito nas entrevistas.

Mas se tratando de Abad/Flusócio, já espero dois campeonatos sofridos onde, na competição sul-americana, não devemos ir muito longe e, no Brasileiro, lutaremos contra o rebaixamento desde a primeira rodada.

Por outro lado, como torcedor tricolor que sou, não somente torço pela conquista do título em ambas as competições, como creio que nosso amigo Gravatinha deverá surgir em muitas oportunidades para nos ajudar, apesar de eu já estar preparado para muitas emoções fortes.

Esta é uma triste realidade que a torcida tricolor vive desde 2013.

A cada ano que passa nos deparamos com uma gestão de futebol fraca, desqualificada e que não sabe honrar as tradições do futebol tricolor.

As desculpas para falta de contratações ou de grandes nomes é a falta de dinheiro. Ok! Ok? Se num clube que passa por problemas financeiros, vejo o VP Financeiro se desdobrar para elaborar projetos de recuperação financeira e vejo o presidente Pedro Abad, além de não dar o aval para que seja implementado, ainda contratar o amigo Fernando Simone, onerando mais ainda a folha do clube, realmente fica difícil. Não esqueçamos também que, junto com seu grupo de apoio, Flusócio e Esportes Olímpicos aprovaram as contas do Peter de 2016.

Para quem não sabe, 2016 foi o ano em que o Fluminense teve a maior receita da sua história e, mesmo assim, Peter conseguiu aumentar a dívida do clube, gastou toda a grana recebida, a que o clube ainda ia receber até 2022 e continuou a prática do antigo gestor do futebol, o Sr. Mário Bittencourt, de fazer contratos com gatilhos. Sem falar, é claro, de deixar "bombas" que vêm causando problemas financeiros e jurídicos ao clube, mês após mês. Quer um exemplo? A cobrança pela venda do Wellington Nem, em 2013. Espero que essas contas de 2016 sejam abertas novamente e que, ao irem para votação do Conselho Deliberativo, desta vez, sejam reprovadas. O Sr. Peter Siemsen tem que se explicar perante o Conselho! Nossa torcida merece essa explicação!

Isso tudo só prova que, de qualquer tipo de gestão que seja, eles não mudam. Só sabem mentir.

É por isso que minhas esperanças por um resto de ano digno, mas nem por isso com menos sofrimento, recaem sobre os ombros de nosso técnico, Abel Braga. Por mais que cometa seus erros e cisme com jogadores de qualidade duvidosa em momentos cruciais, sem ele o Fluminense de 2017 e 2018 teria o rebaixamento no Brasileiro como destino certo.

Tão certo quanto 1+1=2 é que o Fluminense precisa de contratações para compor elenco e para chegar para ser titular. Nosso time titular é bom, mas o elenco não. Em confrontos difíceis, contra equipes bem armadas e precisando propor o jogo, o Fluminense encontrará dificuldades devido à falta de um jogador habilidoso que desmonte a defesa adversária e consiga abrir espaços. Vimos isso nos jogos contra o Avaí.

A torcida tem papel importantíssimo nos jogos em casa, pois, sem ela, o time pode não ter força suficiente para transpor suas dificuldades.

Que marquemos presença nos jogos e apoiemos o time, lembrando que quem entrará em campo é o Fluminense e não o Abad ou a Flusócio. Os jogadores e o Abel precisam do nosso apoio, já Abad e Flusócio, precisam é sair do Fluminense.

Saudações Tricolores!

VOLTAR PARA EM FOCO
Compartilhe
  • Googlemais
comente
Distribuidora de Produtos Alimentícios e DescartáveisDistribuidora de Produtos Alimentícios e DescartáveisDistribuidora de Produtos Alimentícios e Descartáveis
©2017 OBSERVATÓRIO DO FLUMINENSE
Os Woden