HOME|NOTÍCIAS|Olho no apito amigo! (por Gustavo Albuquerque - Flupress)
Debate • Por Gustavo Albuquerque - Flupress • 18 abr 2017
Olho no apito amigo! (por Gustavo Albuquerque - Flupress)

O Fluminense é muito - mas muito - mais time que o Goiás.

O jogo no Serra Dourada teria desfecho completamente diferente se no futebol as coisas se resolvessem apenas pelos pés dos jogadores. Infelizmente nem sempre é assim.

O apitador paulista que conduziu a partida estava nitidamente mal intencionado. Foram quatro lances capitais que mudaram o destino do jogo:

- Pênalti claríssimo no Dourado logo na primeira bola. Estava de cara para o gol e foi empurrado pelo zagueiro no momento de fazer 1x0.

- Não expulsão do jogador goiano que entrou com as travas da chuteira de forma criminosa no joelho do Wendel, ainda no primeiro tempo, na cara do juizinho.

- Expulsão do Cavalieri quando o jogador abriu a bola praticamente para a lateral do campo, evidentemente não a conduzindo na direção do gol. Era lance para amarelo.

- Pênalti cretino marcado nos acréscimos no "dobra joelhos" ridículo do jogador goiano, na cara do juiz.

Águas passadas, muitos dirão.

Eu não. Já cansei de ver juiz arrumando resultado e eliminando meu time. A Copa do Brasil do ano passado foi um claro exemplo. Inventaram um pênalti para o Palmeiras no Maracanã que acabou sendo decisivo para nossa eliminação nas semifinais.

Amanhã quem apita é outra figura conhecida. Tal de Raphael Claus. "Contra" esse cidadão já jogamos nove vezes. Vencemos uma, empatamos outra e perdemos sete. SETE.

S-E-T-E!

Para um time grande, isso não é normal.

Era ele quem estava no apito num jogo em Chapecó pelo Brasileirão de 2015 quando o Marcos Junior fez um gol, anulado por interferência externa quase um minuto depois dele ter corrido para o meio. No mesmo jogo inventou uma penalidade vergonhosa para o time da casa que nos custou três pontos. Escrevi sobre isso na época. Releiam aqui.

O que me incomoda é ver o Fluminense roubado na mão grande no jogo de ida e reagir passivamente à indicação desse camarada para o jogo de volta. Vamos deixar que ele nos prejudique para reclamar em cima de uma eliminação? A diretoria tinha que ter colocado a boca no trombone. Pela vergonha do jogo de quarta passada e pelo descalabro dessa indicação dessa figura que apitará amanhã. Mas...

A torcida tem que ir ao Maracanã e fazer barulho. Tem que ir com sangue nos olhos. O Fluminense é muito mais time, apanhou em Goiânia que nem cão ladrão e precisa da vitória e da classificação.

Mas para isso teremos que fungar no cangote do apitador e dos jogadores do Goiás, que abusam da violência. Jogaremos contra 12 e temos que compensar isso na arquibancada.

Abel pediu, Sornoza pediu, todo mundo pediu. Bacana, mas é sério que precisa pedir? Jogo no Maracanã, adversário atravessado na garganta, competição nacional de alto valor e um time que vem jogando muito bem. Todos os elementos para nosso torcedor fazer sua parte.

Vamos para cima dos caras desde o primeiro minuto. Abel, que foi muito mal na semana passada, pode se redimir. Eu colocaria o Richarlison centralizado e abriria o Wellington Silva de um lado e o Calazans do outro. Com 10 minutos de jogo os laterais dos caras já estarão amarelados, isso, é claro, se o apitador fizer seu trabalho decentemente.

Temos mais time e teremos mais apetite pela vaga.

Faça sua parte. Vá ao Maracanã. Sairemos classificados.

Abraços tricolores

Compartilhe
  • Googlemais
comente
©2017 OBSERVATÓRIO DO FLUMINENSE
Os Woden