HOME|NOTÍCIAS|Palco de glórias, brigas e primeira casa da Seleção: os 98 anos das Laranjeiras
Nas Laranjeiras • Por Felipe Siqueira e Hector Werlang - GloboEsporte.com • 11 mai 2017
Palco de glórias, brigas e primeira casa da Seleção: os 98 anos das Laranjeiras

O Estádio das Laranjeiras, além de casa do Fluminense, faz parte da história do futebol brasileiro. Muito antes da inauguração oficial, em 1919, o futebol já fazia parte do dia a dia do Campo da Rua Guanabara, que ficava ao lado da sede social do Flu. Nesta quinta-feira (11), o estádio, renomeado de Manoel Schwartz a partir de 2004 em homenagem a um ex-presidente do clube, completa 98 anos de história. E o GloboEsporte.com aproveita a data para lembrar algumas curiosidades.

 

Pioneirismo: 1º jogo da história da Seleção Brasileira

Lá, em 1904, foi disputada a primeira partida interestadual, entre Flu e Paulistano. Dez anos depois, foi palco também do primeiro jogo da história da Seleção Brasileira. Um amistoso contra o Exeter City da Inglaterra. Diante de torcedores em uma arquibancada de alvenaria com uma cobertura de madeira, o Brasil venceu por 2 a 0, com gols de Oswaldo Gomes e Osman.

Com a popularização do futebol no país e a demanda por jogos internacionais, o Fluminense decidiu melhorar a estrutura do local e o Estádio das Laranjeiras foi construído, sendo inaugurado em 11 de maio de 1919. Goleada da Seleção sobre o Chile por 6 a 0 pelo Campeonato Sul Americano. A seleção seria campeã, em final contra o Uruguai, com o primeiro título internacional relevante do país. A capacidade da época era de 18 mil pessoas, aumentada para 25 mil em 1922.

 

Casa da Seleção por quase 20 anos

Aliás, o estádio das Laranjeiras foi a casa da Seleção Brasileira por quase duas décadas. E o palco dava sorte. Ao todo, foram 18 jogos, com 13 vitórias, 5 empates e nenhuma derrota. Foram 51 gols marcados (média de 3,92) e apenas 16 gols contra (média de 0,88).

Em 2014, para celebrar 100 anos da primeira partida da Seleção Brasileira nas Laranjeiras, o Fluminense realizou um amistoso contra o rival do Brasil na ocasião, o Exeter City. A partida terminou empatada em 0 a 0, e os visitantes foram presenteados com a Taça Marcos Carneiro de Mendonça.

 

Números gerais do Fluminense no estádio

O Fluminense disputou partidas nas Laranjeiras até 2003. Foram 842 jogos, com 533 vitórias, 156 empates e 153 derrotas. O Tricolor conquistou 12 títulos oficiais no local, além de levantar outras seis taças do Torneio Início.

 

Casa também do Flamengo (!?)

Além de casa do Flu e palco dos primeiros jogos da Seleção, Laranjeiras recebeu também muitas partidas do arquirrival Flamengo. Você sabia que o Rubro-Negro é o segundo time que mais atuou no local, tendo disputado 269 partidas? Como o Fla só construiu o Estádio da Gávea em 1938, o clube mandou muitos jogos na casa do Tricolor. Foi até campeão em 1921 e 1942.

 

Maiores artilheiros do Flu do estádio

 


Desapropriação e demolição de parte da arquibancada

No fim da década de 1950, o Fluminense entrou em conflito com a prefeitura do Rio de Janeiro em razão do projeto de duplicação da Rua Pinheiro Machado, cujo novo trajeto obrigaria a demolição de parte das arquibancadas das Laranjeiras. No começo dos anos 1960, o clube entrou em acordo com o Estado da Guanabara e teve parte do terreno desapropriado para a construção da via.

 

Circo Garcia já foi montado no campo

O Fluminense ficou sem sediar jogos nas Laranjeiras por mais de uma década, entre os anos 1970 e 1980, por opção do clube, que passou a mandar praticamente todos os seus jogos no Maracanã. Em uma das passagens mais bizarras da história do estádio, em 1986, o campo foi alugado pelo Circo Garcia por meses.

 

Reabertura em grande estilo

Em fevereiro de 1986, o estádio foi reaberto, em uma partida entre Flu x São Paulo. O amistoso, conhecido como a “festa das faixas”, era o confronto do tricampeão carioca contra o campeão paulista. Telê Santana, treinador da Seleção, estava nas tribunas acompanhando, fazendo observações para a Copa do México. A partida terminou 2 a 2, gols de Silas (dois) para o São Paulo, com Renê e Ricardo marcando para o Flu.

 

Último título do Flu no estádio

O último título do Fluminense no estádio foi a Taça Guanabara, em 11 de abril de 1993. Vitória de 1 a 0 sobre o Volta Redonda, com gol do saudoso Ézio, aos 21 minutos do 1º tempo.

 

Último jogo nas Laranjeiras

A última partida profissional no estádio foi realizada em 26 de fevereiro de 2003. E não traz boas recordações à torcida tricolor. Empate entre Fluminense e Americano por 3 a 3 pelo Campeonato Carioca. O Flu fez três gols nos primeiros 19 minutos (dois de Fábio Bala e um de Carlos Alberto), mas deixou o rival empatar.

 

Romário nas Laranjeiras

Pouco antes do fim da realização de partidas oficiais no estádio, deu tempo de Romário disputar dois jogos com a camisa do Fluminense nas Laranjeiras. Em fevereiro de 2003, o Baixinho marcou dois gols na goleada por 4 a 1 sobre o Madureira e perdeu um pênalti no empate em 1 a 1 com o Volta Redonda.

 

Aliás, nem só de glórias é a história das Laranjeiras…

 

Briga e agressão a Ricardo Pinto

Em 1996, uma briga com invasão de campo marcou a derrota do Fluminense para o Atlético-PR. O clima de tensão nas arquibancadas era grande devido à chance de rebaixamento e piorou com a derrota por 3 a 2. O gesto do goleiro do clube paranaense, Ricardo Pinto, cria do Flu, batendo no peito em direção aos tricolores após o apito final incendiou os torcedores, que invadiram o campo. Na confusão, Ricardo chegou a ir para o vestiário, mas retornou para brigar. Na troca de socos, o goleiro levou a pior e saiu carregado, ficando três meses sem jogar.

 

Buracos no campo e protestos de torcedores

Mesmo sem realizar partidas oficiais nas Laranjeiras, o Fluminense seguiu utilizando as Laranjeiras como campo de treinamento. Porém, problemas no gramado e a falta de estrutura adequada para a necessidade do futebol moderno (ausência de hotelaria, academia, mais campos), fizeram o clube correr atrás de um centro de treinamento. Em 2016, o Flu passou as atividades para o recém-construído CT Pedro Antonio, na Barra da Tijuca.

Se hoje os jogadores experimentam a paz de um local mais reservado para treinar, nas Laranjeiras era diferente. A presença de torcedores durante os treinamentos era inevitável e a cobrança da torcida às vezes passava do ponto.

 

Romário agride torcedor

Em 2003, irritados com a campanha do time no Campeonato Brasileiro, torcedores xingaram os jogadores durante uma sessão de treinamento e chegaram a jogar galinhas vivas no campo. Após a atividade, Romário, já de banho tomado, retornou ao campo e subiu até a arquibancada e, com a ajuda de seu fisioterapeuta Zé Colmeia, deu alguns sopapos em um dos torcedores que protestava. "Não vem me esculachar na minha casa, não", disse o atacante.

 

Diguinho leva soco

Em maio de 2009, cerca de 30 representantes de uma das principais torcidas organizadas do clube invadiram uma sessão de treinamento para protestar contra a má fase do time. Durante o bate-boca, um dos torcedores deu um soco no volante Diguinho.

 

Palco agora é de festa da torcida!

E se nos dias de hoje as Laranjeiras não recebem mais jogos nem treinos, a torcida do Flu não abandonou o local. Nos últimos anos, o estádio virou o ponto de encontro para as comemorações de títulos. Foi lá que a torcida festejou a Copa do Brasil de 2007 e o Campeonato Brasileiro de 2012. Só não celebrou o Brasileirão de 2010 porque a festa foi adiada por causa das fortes chuvas.

Compartilhe
  • Googlemais
comente
©2017 OBSERVATÓRIO DO FLUMINENSE
Os Woden