HOME|NOTÍCIAS|Observações sobre o jogo (por Cezar Motta - Sempreflu)
Debate • Por Cezar Motta - Sempreflu • 10 ago 2017
Observações sobre o jogo (por Cezar Motta - Sempreflu)

Foi um jogo ruim de se ver, e só mesmo a paixão tricolor nos obrigou a ficar diante da tela. Mas algumas coisas interessantes pudemos observar, para o bem e para o mal.

Das coisas boas, por exemplo, o Henrique como volante fechou um buraco que sempre existiu entre o meio de campo e o ataque, a cabeça de área do Flu, que desde janeiro é um parque de diversões para qualquer time. A zaga não ficou tão exposta e foi o segundo jogo em que não tomamos gol.

Não dá pra garantir que é uma solução definitiva porque a Ponte é um time ruim, e sem o Renato Cajá não tem um articulador de jogadas por ali. É preciso testar o esquema contra um time que toque bem a bola e articule no meio. Como o Santos. Mas não vai acontecer.

Dentre as coisas ruins, ficou claro que sem Richarlison, que era mais de 80% do nosso ataque, acabou a onda de fazer gols em todos os jogos. Ficou muito mais difícil. Perdemos velocidade, penetração, força física e iniciativa.

O Ceifador sozinho não dá conta. É lento, atrapalha-se com a bola e é apenas um finalizador, não sabe driblar e nem receber em profundidade. Quem poderia puxar contra-ataques tem ficado lá atrás, como um auxiliar de lateral-esquerdo, o Wellington Silva.

E o que é pior, pelo seu estilo e características, costuma driblar e brincar perto da nossa área, o que é perigosíssimo. Ele teria que ser o homem do contra-ataque. Mas parece mal fisicamente, assim como Lucas (não aguenta jogar futebol), Scarpa e Henrique Dourado.

O garoto Marlon ainda não me convenceu. Acho Leo mais pronto, mais forte, melhor marcador, embora menos habilidoso. E o Marlon ainda tirou o espaço do Mascarenhas, que de vez em quando beliscava uma chance de jogar e parece ter futuro.

Ficou nítido que Abel e o time tiveram a preocupação de corrigir as falhas defensivas, tapar os buracos do nosso meio de campo, e isso acabou comprometendo um pouco a força ofensiva.

Quando o time resolvia sair para o jogo, tomava uns contra-ataques, e todo mundo se retraía de novo. Nogueira foi bem, mas perdeu um gol absurdo. Em vez de cabecear para o gol, isolou a bola.

Aposto que Leo volta contra o Santos, assim como Marlon Freitas. Henrique deve voltar para a zaga, saindo o Nogueira. Abel não é de testar muito, é bastante conservador.

A Ponte Preta mostrou que é séria candidata ao rebaixamento também, e o Sheik parece que já deu. Está lento e cansadão, aos 39 anos.

O que me deixa tranquilo em relação à queda é que há muitos times que namoram com o inferno.

Compartilhe
  • Googlemais
comente
©2017 OBSERVATÓRIO DO FLUMINENSE
Os Woden