HOME|NOTÍCIAS|O espetáculo de leviandade, intrigas, canalhice e desinformação (Blog do Savioli - O'Tricolor)
Debate • Fonte: Blog do Savioli - O'Tricolor.com - Foto: Nelson Perez - Fluminense F.C. • 04 dez 2017
O espetáculo de leviandade, intrigas, canalhice e desinformação (Blog do Savioli - O'Tricolor)

Amigos, amigas, o Globoesporte.com publicou na manhã do último sábado uma reportagem que pode entrar para os anais do pastelão jornalístico nacional.

Eu não sei à luz de que ciência alguém encontrará explicação para o prazer quase erótico que o brasileiro tem de ser feito de palhaço, enganado e roubado. Em nenhum outro país do mundo é tão compensador ser espertalhão, trambiqueiro, corrupto e manipulador.

Pois eis que os caras me saem com a estapafúrdia reportagem sobre os R$ 32 mil que o Fluminense perdeu (em plena crise financeira, é bom que se diga) com a cessão de ingressos para as torcidas organizadas que culminou no espetáculo grotesco, espalhafatoso e inútil promovido pelo MP, a Polícia Civil e a Flapress na manhã de sexta.

Puta que o pariu, como é que o presidente Pedro Abad, esse mentiroso, que quer apequenar o Fluminense (esqueci alguma coisa?) me doa ingressos que renderiam ao clube 32 mil reais em seis partidas?

Diabos, isso não daria para construir um estádio, pagar toda a dívida do clube e ainda sobrar um qualquer para a gente contratar o Gabriel Jesus e o Neymar para fazer nossa dupla ofensiva? Gente, são TRIN-TE-DOIS-MIL-REIS. Tudo isso enquanto multidões faziam filas amazônicas em torno do Maracanã por um ingresso para ver nossos craques jogarem.

No outro dia foi o UOL, que publicou reportagem sui generis, segundo a qual o Fluminense, que tem uma dívida de R$ 440 milhões (antes fosse esse o valor), lançará em janeiro um fundo de investimentos que tem o objetivo de levantar R$ 100 milhões para financiar essa dívida, sendo que o Fluminense ficará com 1% desse valor.

O mais legal é que eles próprios se recusaram a dizer que 1% de R$ 100 milhões é R$ 1 milhão. Então, na visão do UOl, o Fluminense vai financiar uma dívida de 440 milhões com 1 milhão. Na visão do torcedor, que lê uma patacoada dessas, o Abad "mentiroso, estelionatário, que quer apequenar o Fluminense" além de tudo se cercou de idiotas para criar um produto financeiro em que a torcida entra com 100 milhões e o banco fica com 99 milhões. Puta que o pariu cem milhões de vezes!

Aí eu pergunto que diabos de faniquito foi aquele da Bravo 52? Alguém na torcida do Fluminense tem dúvida de que a Bravo 52 nunca recorreu ao clube para se financiar? Inclusive nós já publicamos uma reportagem aqui sobre a forma de organização magistral da Bravo 52, que é um exemplo para outras torcidas.

Teve algum dirigente da Bravo 52 preso nessa operação caça ladrão de galinha? Para que aquele pronunciamento truculento e leviano, chamando o presidente do Fluminense de mentiroso, em vez de fazer o correto, que seria exigir, de forma respeitosa, como cabe a instituições que prezam pela decência e dignidade em seus relacionamentos, que o mesmo desse nome aos bois?

Era fundamental o uso da palavra "mentiroso", para alimentar o noticiário da Flapress. "Bravo 52 chama Abad de mentiroso".

Como diria Aécio Neves, o baluarte da moral tupiniquim, "não vai ganhar, se ganhar não vai assumir, se assumir não vai governar". Afinal - ato falho - "nós somos o principal partido de oposição ao Brasil".

Aliás, é preciso a gente descobrir agora quem é o principal partido de oposição ao Fluminense, aquele que após o impeachment vai reabrir o clube à gestão pela banca, com muito dinheiro entrando e saindo e muita gente ganhando.

Porra, cacete, o que esse tipo de gente pode ter a oferecer ao Fluminense? Quem passa dia e noite infernizando o presidente do clube e patrocinando mentiras vai fazer o que quando chegar ao poder? Que bons propósitos podem justificar tão abjetas práticas?

Agora até a Flapress virou aliada. A Flapress publica as merdas e os patinhos vão lá para postar suas lamúrias monótonas. Quem discorda tem o comentário moderado. É assim que a banda toca.

"Ah Savioli, mas você nega que o Abad prometeu o que não podia cumprir e a Flusócio é responsável por essa merda que está o Fluminense?"

A minha resposta é muito simples e direta para isso. Em primeiro lugar, foda-se a Flusócio. Eu não quero saber da Flusócio, nem como aliado, nem como porra nenhuma. Cansei de avisar aqui durante dois anos das cagadas que estavam fazendo no clube. Só que antes estava todo mundo junto e misturado.

Eu não quero saber da Flusócio e só conheço o senhor Pedro Abad de troca de e-mails quando o entrevistei durante o processo eleitoral. Sempre critiquei a atuação do Conselho Fiscal, do qual era presidente.

Só que eu não gosto de covardia, mentira e canalhice. O que estão fazendo com esse cidadão, que tem família e um nome é coisa de canalhas da pior espécie, que não nutrem o mais remoto respeito pelo semelhante. É coisa de gente que não tem entre si e suas ações o menor resquício de escrúpulo. Isso é briga suja, imunda e indecente por poder, mais nada.

O Fluminense? O Fluminense que se exploda! Não estão nem aí. Sabem muito bem que o único caminho para a salvação do clube é o que está sendo trilhado, mas não enche bolso de ninguém. Clube administrado profissionalmente, por gestores remunerados, com conselhos bem estruturados e presidente com poucos poderes é um horror para quem só quer se dar bem. Baratas gostam de cozinha suja e desarrumada.

Se o Abad prometeu o que não podia cumprir? Não tenta me arrastar para essa conversinha rasa. Teve gente que prometeu até mais. O problema não é esse. O problema é o risco do Fluminense dar certo, vamos confessar, porque se der certo, parceiro, ninguém mais bota a mão no pote de ouro. Vai profissionalizar essa porra, sim. Chega de amadorismo, de cumpadrismo, de gestão de birosca num clube que move centenas de milhões de reais e mexe com a paixão e a felicidade de milhões de pessoas, que não vão servir de massa de manobra para realização de interesses mesquinhos.

Quando a Unimed só fazia macaquice no Fluminense, que fazia mais pirotecnia do que colocava dinheiro e mal ganhava um título, a Flapress nem ligava. Foi ganhar dois títulos brasileiros em três anos, e só não foram três, mais uma Libertadores, porque venderam o Conca em 2011, começou a aparecer no noticiário que a Unimed estava falida, que estava botando dinheiro no Fluminense e não tinha retorno e até que a Unimed era uma merda para o Fluminense. Até oposição a Celso Barros na Unimed virou notícia em editoria de esportes.

Aliás, a Flapress ajudou muito na eleição do Abad fazendo oba oba dia e noite da construção do CT. Aqui no O´Tricolor.com não tinha oba oba. No máximo, tinha notícia, que aqui a gente não bate palma para macaco dançar. O que nós temos aqui são articulistas que pensam cada um com a sua cabeça e são responsáveis pelo que escrevem, não interessa se é contra ou a favor de quem quer que seja. Quem tem que pensar e tirar suas conclusões é o leitor. Aqui não tem presunção de burrice.

Só que agora a Flapress está contra o Abad. Por quê? Simples, parceiro. O que a atual gestão está fazendo no Fluminense é o que todos os clubes vencedores do mundo fizeram. Inclusive a mulambada, que eles batiam palma e exortavam a torcida "ignorante" deles a ter paciência.

Se o caralho da torcida do Fluminense descobre que o clube está no caminho certo e resolve apoiar o Abad, fudeu! Tem que, se possível, fazer esse filho da puta renunciar, colocar lá alguém que faça muita pirotecnia e faça a torcida acreditar que o clube está sendo administrado.

***

Para encerrar, os indícios de que o Fluminense vendeu o Wendel estão claros no próprio balancete do terceiro trimestre do clube. Com a venda do Wendel, acabou o problema de fluxo de caixa em 2017. A dívida deve aumentar, infelizmente, mas se o Fluminense não estivesse programado para a dívida aumentar corria o risco de dar certo muito rápido.

Foi assim esse ano e será assim no ano que vem. Como eu venho dizendo desde o ano passado, o Fluminense está todo engatilhado para sobreviver de transferências de jogadores.

A boa notícia é que inverter essa lógica não vai ser difícil. A tática é simples. Para resolver esse problema basta saber escrever minimamente. Escreva no twitter ou no facebook assim:

"Abad filho da puta"

"Fora Abad"

"Essa Flusócio está apequenando o Fluminense"

"Abad, pinóquio mentiroso, cadê o estádio, cadê o CT concluído, cadê o time que você prometeu?"

É tiro e queda. Além de não ajudar a resolver porra nenhuma, ainda vai fazer papel de palhaço, defendendo interesses de quem não está nem aí para você e está pouco se fodendo para a integridade e o futuro do Fluminense.

Saudações Tricolores!

Compartilhe
  • Googlemais
comente
Fernando Moraes - 07/12/2017 às 03h16
UHUUU!! Mandou bem!!

Todo o sistema vem sendo preparado para enriquecer o Fla e o Cor a ponto de poderem enfrentar os grandes europeus em competições mundiais de clubes expandidas, coisa que a Fifa já está estudando. Ah, mas o Fla estava saneando suas dívidas, eles são um exemplo... com todo o dinheiro despejado pela Caixa Econômica (dinheiro público) e a mudança da Globo, até eu! Mas e o Corintians, este ainda está endividado...!
Sim, porque ganhou do governo o financiamento de um estádio.
Por que tanta proteção ? A Globo, o governo e a midia esportiva querem empobrecer a diversidade do futebol brasileiro? Nãoooo... é que todos eles são em sua maioria, Flamenguistas ou Corintianos... simples assim.
Responder
Jorge Gonçalves - 04/12/2017 às 16h56
Não conheço a política interna do Fluminense, mas a lógica é a mesma que foi utilizada no Golpe. Com só dois times como protagonistas (Corinthians e Flamengo) fica mais vender o futebol brasileiro.
Responder
©2017 OBSERVATÓRIO DO FLUMINENSE
Os Woden