HOME|NOTÍCIAS|Grupo de apoio à gestão protocola requerimento que pede diversas explicações a Abad (por Paulo Brito - NetFlu)
Debate • Por Paulo Brito - NetFlu • 08 fev 2018
Grupo de apoio à gestão protocola requerimento que pede diversas explicações a Abad (por Paulo Brito - NetFlu)

Não são apenas os grupos de oposição no Fluminense que seguem se movimentando em busca de explicações do presidente Pedro Abad. Coalizão de apoio à gestão, o “Unido & Forte” protocolou no último dia 30 de janeiro, após conseguir 41 assinaturas (são necessárias no mínimo 30) de conselheiros e beneméritos, um requerimento solicitando diversas explicações do mandatário tricolor.

– Uma vez que houve o vazamento do requerimento do nosso pedido para a convocação de uma reunião extraordinária, de nada adianta fugir do assunto. Como o mesmo documento diz, a base do grupo “Unido & Forte” (composta pelo MR21, pelo Esperança Tricolor, pelo Por Amor ao Fluminense, pelo Flu 2050, por conselheiros eleitos independentes e por beneméritos) “não pretende fazer retórica de oposição ou qualquer ato de cunho eminentemente político”. Apenas queremos entender, assim como todos os sócios e torcedores do Fluminense, o que realmente está acontecendo – disse o conselheiro Antônio Gonzalez, membro do “Unido & Forte”, em entrevista ao NETFLU.

Os principais esclarecimentos desejados pelo grupo são: as dispensas e demissões, planejamento do futebol para 2018, entender como andam as representações do clube em entidades como Ferj e CBF e, ainda, compreender a situação em torno da venda de Diego Souza. O atleta fora negociado pelo Sport por R$ 10 milhões, num negócio em que o Flu teria direito a metade do valor, mas que teria arrecadado apenas 10%, com anuência, segundo o clube pernambucano, do diretor esportivo da base, Marcelo Teixeira.

– Muito nos estranha as matérias, principalmente as publicadas pelo site UOL, que colocam a responsabilidade do que vem ocorrendo nos vice-presidentes de finanças e jurídico, que pertencem ao “Unido & Forte”. Diante desse impasse, e para saber realmente o verdadeiro motivo dos problemas causados ao clube e à sua imagem, além das possíveis perdas econômicas do Fluminense, decidimos, em respeito à verdade, à transparência dos fatos e, principalmente, aos sócios e torcedores do Fluminense, pedir, de acordo com o Estatuto do clube, que o Presidente Pedro Abad venha a público e esclareça, de forma cristalina, todos os acontecimentos que envolveram o departamento de futebol desde as últimas semanas do mês de dezembro até agora – destacou Gonzalez.

Apesar de muitas pessoas entenderem a situação como um processo embrionário de “golpe”, o conselheiro Antônio Gonzalez salienta que o viés da iniciativa busca única e exclusivamente respostas, sem segundas intenções.

– Termino recorrendo a outro parágrafo do requerimento: “Nosso foco é outro. Sendo o viés participativo e colaborativo, ainda que em tom de cobrança pela necessária transparência assumida como compromisso de campanha” – concluiu.

O NETFLU teve acesso ao documento atualizado, protocolado no fim de janeiro com a chancela de 41 conselheiros. Confira na íntegra:

“Rio de Janeiro, 26 de janeiro de 2018.

Ao Ilmo. Sr. Dr. Presidente Interino do Egrégio Conselho Deliberativo do Fluminense Futebol Clube Fernando César Leite

(EM MÃOS)

Assunto: Requerimento para convocação e realização de reunião de reunião extraordinária do Conselho Deliberativo do Fluminense Futebol Clube

Ilmo. Presidente,

Premidos pela urgência e gravidade dos assuntos adiante discriminados e amparados no art. 28, seção II, alíneas “a” e “b” de nosso Estatuto, os sócios membros desse Eg. Conselho Deliberativo, infra-assinados, requerem a imediata convocação e realização de reunião extraordinária desse Conselho, consoante a fatos e fundamentos que adiante passa a expor:

1 – A imediata necessidade de esclarecimento

O objetivo central da reunião requerida funda-se na necessidade do ser melhor aclarado a esse Colendo Conselho o planejamento e perspectivas do futebol de nosso clube, fornecendo esclarecimentos sobre as formas e razões das dispensas de alguns dos principais atletas de nosso elenco.

Tal esclarecimento se faz mais do que necessário, tendo em vista que o assunto é fartamente divulgado e explorado nos diversos canais da mídia institucionalizada, bem como, assunto frequente nas redes sociais, sempre com enfoques aleivosivos e ofensivos à imagem do clube, sendo certo que, até a presente data, não foi fornecido para esse Conselho nenhum esclarecimento mais detalhado relacionado às razões da opção em que essas dispensas foram procedidas, bem como, as suas possíveis consequências.

É de se notar, que além da repercussão negativa que o assunto ganhou as páginas de todos os jornais, além dos diversos canais de comunicação da atualidade, também se verificou como consequência imediata das questionadas dispensas possíveis prejuízos econômicos, decorrentes de demandas judiciais, além da perda de possíveis ativos, como no caso do atleta Henrique, liberado gratuitamente para equipe do Corinthians.

Como se isso já não fosse suficiente, é de se considerar de extrema gravidade as recentes manifestações de alguns desses atletas, que vieram a público revelar situações de explícita falta de profissionalismo e desrespeito para com seus atletas, por parte de nosso clube, sendo certo que, não houve NENHUM pronunciamento oficial em sentido contrário.

Some-se a tudo isso, a indefinição acerca do elenco de futebol profissional que poderemos contar para a temporada de 2018, sendo certo que, o quadro de atletas que, atualmente, possui o nosso plantel sugere-se como insuficiente, inexperiente e pouco qualificado, traduzindo motivo de justificada apreensão sobre o possível desempenho.

É cediço que o quadro é de extrema dificuldade, sendo igualmente certo e louvável o esforço que a gestão tem feito para estancar a crise financeira e econômica, fruto de uma política irresponsável e perdulária de gestões passadas. Nesse ponto, os conselheiros ora signatários reconhecem o empenho realizado, bem como, manifestam o apoio à gestão financeira do clube.

Por outro lado, no entanto, não pode o Fluminense Futebol Clube, em nome da necessária austeridade financeira, permitir o grave e concreto risco de cair para a segunda divisão.

Por isso, a administração do futebol, tem que ser feita com grau de eficiência, organização e criatividade irretocáveis, coisa que ainda não se viu, desde o início da gestão.

Pelo contrário, até a presente data, o que se presenciou foi uma constante de desinformações e desencontros que justificam o tom apreensivo da presente demanda.

Diversos são os exemplos daquilo que ora se sustenta, tais como:

A indefinição das funções exercidas pelo profissional Marcelo Teixeira que, ora diz-se cuidar somente das divisões de base, ora aparece tratando de assuntos do elenco profissional, tal como, supostamente, teria ocorrido na dispensa do atleta Diego Cavalieri;

A participação no Torneio Flórida Cup e o planejamento para a primeira partida do Campeonato Estadual, indiscutivelmente, um exemplo de desorganização que não se pode admitir, em qualquer estrutura de esporte profissional;

As apresentações de atletas contratados, sem a presença de NENHUM representante do clube, sequer;

O pífio desempenho de nossas divisões de base;

As negociações envolvendo jogadores, tais como, Richarlison e Wendel;

Os critérios de definição para o nome do Vice Presidente de futebol.

Esses são alguns dos inúmeros exemplos de situações relacionadas à gestão de futebol, que hão de ser esclarecidos a esse Egrégio Conselho.

Note-se que a demanda pela realização de uma reunião extraordinária por parte dos Conselheiros, mais do que uma faculdade estatutariamente prevista, constitui obrigação pessoal de cada um Conselheiros, considerando a gravidade do quadro.

Não se pretende com isso fazer retórica de oposição ou qualquer ato de cunho eminentemente político.

Nosso foco é outro. Sendo o viés participativo e colaborativo, ainda que em tom de cobrança pela necessária transparência assumida como compromisso de campanha.

2 – Pontos a serem esclarecidos:

Por todo o exposto, fazem-se necessários o esclarecimento dos seguintes pontos referenciados:

Liberação e dispensa de jogadores: Critérios de seleção, forma utilizada e valores envolvidos;

Metas e planejamento para o futebol profissional em 2018;

Atuação do comitê gestor do futebol, com especificação das funções de cada um dos membros integrantes;

Representação do clube frente à instituições do Esporte, tais como, Tribunais Esportivos, Federações e Confederações;

Esclarecimento sobre a venda do nosso ex atleta, Diego Souza, pelo Sport de Recife, para o São Paulo.  A princípio o Fluminense detinha 50% dos direitos de um futuro transpasso do jogador.  Esse dinheiro chegou às Laranjeiras?

3 – Pedido

Diante de todo exposto, é a presente para instar à Presidência desse Egrégio Conselho a convocação de Reunião Extraordinária, em caráter de extrema urgência, considerando cada um dos pontos acima assinalados, em consonância com o que dispõe o arts. 28, §3º.  e 30, caput, bem como, demais dispositivos estatutários cabíveis, requerendo-se o mais célere deferimento ao aqui postulado, firmam o presente, em anexo, os seguintes sócios conselheiros:

E, em testemunho de fé e reconhecimento das assinaturas anexas, firma e rubrica todas as páginas:

NOME – ASSINATURA – Nº DO SÓCIO

Protocolada em 30 de janeiro de 2018, com 41 assinaturas e recebida pela secretária da Presidência do Conselho Deliberativo, Nathália Valentim.”

 

 

Compartilhe
  • Googlemais
comente
©2017 OBSERVATÓRIO DO FLUMINENSE
Os Woden