HOME|NOTÍCIAS|Fluminense começa construção da rua de acesso ao CT
Nas Laranjeiras • Por Felipe Siqueira e Hector Werlang - GloboEsporte.com - Foto: Hector Werlang • 09 mar 2018
Fluminense começa construção da rua de acesso ao CT

A construção da nova rua de acesso ao Centro de Treinamento Pedro Antonio Ribeiro da Silva finalmente saiu do papel. Em ritmo avançado, o aterro de parte do terreno que originará a via é previsto para ser concluído até o final de abril.

Trata-se, porém, do primeiro passo de um processo complexo. Inicialmente, apenas a terraplanagem será feita pelo Fluminense. E ainda não há garantia de usar o espaço para acessar ou sair do local.

Foi em outubro do ano passado que o clube conseguiu a licença da prefeitura do Rio. Em dezembro, começou o trabalho. A liberação é apenas para aterrar o espaço da rua.

Pelo projeto, a via terá 1 quilômetro de extensão e 25 metros de largura. Ela começa nos fundos do Campo 1, passa ao lado do Senac e por trás da Escola Sesc até chegar à Avenida Ayrton Senna.

Não há custo para realizar o aterro, afinal, a areia usada estava no CT e também é cedida de outras construções que não têm onde descartá-la. A ideia é batizar a rua com o nome de Oscar Cox, fundador do clube.

A pavimentação, a construção da rede de esgoto, a iluminação e a sinalização de trânsito só podem ser feitas após o projeto ser aprovado pela Prefeitura. Em caso positivo, gerará outra licença. O custo da construção é estimado em R$ 3 milhões e, como não há recursos para tal, ficará para um segundo momento.

O Tricolor, até lá, espera liberação para usar a rua - mesmo só aterrada. Atualmente, a entrada e saída são feitas pela Avenida Arroio Fundo e Avenida Comandante Guaranys, área nos fundos da Cidade de Deus. A mudança deve aumentar a segurança em uma área com constantes operações das forças de segurança estaduais.

Além da rua, o Flu faz outras melhorias. No período de férias dos jogadores, as salas de fisioterapia e fisiologia foram incorporadas à academia, que ganhou nova identidade visual.

Compartilhe
  • Googlemais
comente
©2017 OBSERVATÓRIO DO FLUMINENSE
Os Woden