HOME|NOTÍCIAS|Emocionado em retorno, Calazans diz ter pensado em parar "muitas vezes" e perdoa agressores
Nas Laranjeiras • globoesporte.com • 09 out 2018
Emocionado em retorno, Calazans diz ter pensado em parar "muitas vezes" e perdoa agressores
Emocionado em retorno, Calazans diz ter pensado em parar "muitas vezes" e perdoa agressores

Assim que o árbitro apitou o fim da partida na vitória do Fluminense sobre o Paraná por 4 a 0, Marquinhos Calazans ajoelhou e beijou o gramado do Maracanã. Uma cena muito representativa. Afinal, o jovem atacante de 22 anos não pisava naquele gramado desde o dia 5 de agosto de 2017, quando rompeu o ligamento do joelho direito e precisou passar pela primeira das duas cirurgias a que foi submetido em um curto período de tempo.

- Ali foi a redenção de tudo que passou. Fiquei emocionado. O momento que veio na minha cabeça foi a primeira lesão. Era um momento muito bom na minha carreira. Melhor momento da minha vida. Aquele filme passou na minha cabeça. Estou muito feliz.

A volta aos gramados após a primeira cirurgia precisou ser adiada em razão de um lamentável episódio que o forçou operar o joelho novamente. Em 15 de dezembro de 2017, dia da final da Sul-Americana entre Flamengo e San Lorenzo, Calazans foi agredido por dois torcedores rubro-negros em uma lanchonete em Vista Alegre, zona norte do Rio de Janeiro. Apesar do ataque ter atrapalhado sua carreira, o jogador diz perdoar seus agressores.

- É um momento que não gosto muito de lembrar. Não descobri quem foram as pessoas que fizeram ainda, mas perdoei mesmo sem saber quem são. Porque se eu não perdoar eu sou uma pessoa pior do que eles foram, do que fizeram.

O período de um ano e dois meses sem jogar foi difícil para Calazans. O atacante revela que, durante a recuperação, inclusive, chegou a pensar em parar de jogar futebol:

- Ver todo mundo jogando, todo mundo podendo ajudar e só poder ficar na torcida... Isso é o mais difícil para o atleta, ver que os outros podem ajudar, menos você. Um ano e dois meses sem jogar... Foi um momento muito difícil da minha carreira.

- Hoje eu fui a pessoa mais feliz. Foi a noite da minha vida. Durante esse tempo parado eu pensei em muitas coisas... Pensei em parar muitas vezes, mas com a ajuda dos meus companheiros e da minha família pude voltar a jogar e ajudar a equipe.

Ao ser chamado para entrar em campo, aos 23 minutos do segundo tempo, Calazans foi ovacionado pela torcida presente no Maracanã. Ainda sem ritmo de jogo pelo longo tempo fora de combate, o jovem atacante teve atuação discreta, mas deu esperanças nos tricolores que apostam em seu talento.

Mostrou o atrevimento característico em uma arrancada pela esquerda e qualidade em uma troca de passes pela direita. Tentou um chute a gol, que parou na defesa, e sofreu três faltas. Apesar do tempo parado, foi crítico ao analisar seu retorno.

- Eu me senti muito bem. Após um ano e dois meses sem jogar, o cansaço é normal. A parte física a gente vai pegando aos poucos, vai se adaptando ao jogo. A parte médica e fisioterápica tiveram muito cuidado com a minha volta e isso me fortaleceu para voltar hoje e me sentir totalmente bem. Fui mais ou menos ainda. Sei que posso render muito mais que rendi hoje. Mas vamos voltar aos treinos e melhorar – avaliou.

Números de Calazans contra o Paraná:

22 minutos em campo
Faltas recebidas: 3
Finalizações: 1
Passes certos: 10
Passes errados: 1

O técnico Marcelo Oliveira aprovou o retorno de Calazans e mostrou confiança no crescimento do jogador.

- Ele vem treinando muito bem. Ele mancava muito fazia um tempo atrás. Ele tem se mostrado muito hábil. Tem muita técnica e é bom nas jogadas individuais. A gente tem feito jogos-treinos para dar ritmo a quem não tem jogado. Na semana passada, ele me impressionou muito em um treino. Por isso, ele teve a oportunidade hoje. O jogo nos deu essa oportunidade. Para as duas mudanças na lista da Sul-Americana, um dos nomes definidos é o Paulo Ricardo. Vamos fazer a opção na segunda vaga, temos o Calazans, o Daniel e o Cabezas.

Campeão brasileiro sub-20 com Pedro e subida aos profissionais em 2017

Um dos destaques da geração sub-20 campeã brasileira em 2015 ao lado de nomes como Pedro e Daniel, Calazans subiu ao profissional do Fluminense em 2017. Na temporada passada, entrou em campo em 24 partidas, 14 delas começando como titular e não chegou a balançar as redes.

Algumas vezes foi improvisado na lateral esquerda por Abel Braga, no lugar de Léo. Mas sua posição de origem é o setor ofensivo pela esquerda. Canhoto, tem como características principais explosão e velocidade e a ousadia em partir para cima dos marcadores.

Após o retorno aos campos nesta segunda, já alimenta o sonho de estar à disposição do técnico Marcelo Oliveira para o clássico contra o Flamengo no próximo sábado pelo Brasileirão:

- Quem não tem expectativa de ir para um clássico contra o Flamengo não deve nem estar jogando futebol. Vou voltar a treinar forte quarta-feira, quinta também, para poder estar no jogo sábado.

Compartilhe
  • Googlemais
comente
©2017 OBSERVATÓRIO DO FLUMINENSE
Os Woden